sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Série cidade de Natal_post 02

Ao lado do restaurante Seridó há um estreito corredor onde localiza-se a Casa do Cordel e seus poetas e xilogravuristas. Confesso que sou um apaixonado por estas artes, um pouco pela influência de meus familiares de origem alagoana. Ao entrar no pequeno corredor fui muito bem recebido pelo poeta Boquinha de Mel, um “cabra desenrolado”, muito atencioso que perguntou o que eu procurava. Disse-lhe que queria comprar uns cordéis para levar pro Sul. Papo vai, papo vem, ele perguntou o que eu fazia ali, disse que era fotografo e professor e que estava na cidade participando de um congresso.
Entre as milhares de histórias registradas neste belos livretos, senti que daria para fotografar. Foi quando chegou o dono do espaço, o poeta Abaeté, pai de um jovem famoso gravurista chamado Erik Lima, um homem de cara sisuda, mas com um coração daqeles, gente fina mesmo. Logo em seguida pedi para fazer uma foto e o Abaetá sugeriu que a fizemos na porta da “casa”, como se eles estivessem abrindo o espaço, naquele ritual diário. Gostei da idéia e começamos por aí...
Final da história, fiz boas imagens, comprei R$ 50,00 em xilo e ganhei uns 10 cordéis de brinde, dois deles autografados pelos autores, e de quebra ainda pude gravar com meu mp3 uma rima que ele fez em minha homenagem (tomara que tenha gravado mesmo, pois não consegui ouvir este áudio no meu aparelho!!!).


Poetas Abaeté e Boquinha de Mel, Casa do Cordel, Natal



Parede dos cordéis, desde autores locais até Leandro Gomes de Barros




Poeta Abaeté, o dono da casa




Paredes com matrizes de xilogravura



Boquinha de Mel autografando um de seus cordéis

Abraço, tem mais....

2 comentários:

Amanda disse...

André, que legal! Você podia me trazer um desses cordéis, né? Eu tô vendo um pouco da literatura de cordel na faculdade.
Vê se escreve contando como foi a apresentação do mostra caixola!
Beijos.

Vanessa Otovicz disse...

Adorei as fotografias, me deu vontade de estar lá e ver todos aqueles cordéis e xilogravuras com atenção.
Uma penas o caixola não ter ganho, mas enfim bola pra frente.
Abraço professor.